Polícia Civil prende homem que matou ex-companheira, no Santo Eduardo

Vítima foi assassinada com 31 facadas, e encontrada dentro de um Citroen C3, no Santo Eduardo

6156
Arnóbio Henrique Melo matou ex-companheira Joana Mendes ( Foto: ASCOM-PC )

Policiais civis da Delegacia de Homicídio da Capital (DHC) e da Gerência de Polícia Judiciária da Área 1 (GPJ1), coordenados pelos delegados Fábio Costa, prenderam em flagrante na madrugada desta quinta-feira (6) o bacharel em Direito, Arnóbio Henrique Melo, acusado de matar horas antes a ex-companheira Joana Mendes, dentro de um carro modelo Citroen C3, estacionado na Rua Benevides Montes, no Conjunto Santo Eduardo.

O acusado foi localizado em um imóvel, pertencente a parentes, na cidade de Barra de São Miguel, sendo levado para a DHC, que funciona no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), em Mangabeiras.

Segundo as investigações, após o crime, Arnóbio ligou para um parente próximo dizendo: “acabei de fazer uma besteira”, e apresentava ferimento na mão, possivelmente provocada por faca, quando chegou em casa.

A suspeita, segundo o delegado Fábio Costa, é que ele tenha se ferido ao pegar na lâmina da faca, usada no crime, e que foi encontrada ainda suja de sangue na casa de sua mãe.

Aos familiares, ele inicialmente alegou que fora vítima de assalto e, após ser atendido em um hospital, foi se esconder na Barra de São Miguel.

“Conseguimos convencer à família que indicasse o local onde o suspeito estava e acabamos por localizá-lo”, adiantou o delegado.

Ao ser ouvido, Arnóbio disse que não confessou o crime, mas também não negou. Ele alegou que não se lembrava de nada, inclusive se havia matado a ex-companheira. E se tivesse sido ele não sabia o motivo.

A polícia apurou, no entanto, que, após a separação, Joana tencionava ir para Minas Gerais, levando o filho do casal.

Revoltado, Arnóbio atraiu a ex-companheira, marcando um encontro com a alegação de que iria assinar a autorização para a viagem do filho.

No encontro, ele acabou matando Joana.

COMPARTILHAR