Preso último integrante de associação criminosa que aterrorizava área rural da Zona da Mata

217
 Policiais civis do 116º DP de Murici efetuaram a prisão de Paulo Dorgival Salvino da Silva, conhecido por “Bimba”, nesta quinta-feira (12), último integrante da associação criminosa que vinha aterrorizando a zona rural da região.
De acordo como delegado titular do 116º DP, Cayo Rodrigues, “Bimba” conseguiu fugir do cerco policial da operação realizada na terça-feira, 10, quando foram presos João Grigório Salvino da Silva, José Gregório Salvino da Silva (Zeca), Edson Grigório Salvino da Silva (Dé), José Paulo de Lima Filho (Juca), Cícero da Silva Filho e Antônio de Oliveira (Pezão).
Durante a operação, que foi coordenada pelas delegacias de Murici e Branquinha e teve apoio operacional de equipes do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (Tigre), Asfixia e Gerência de Polícia Judiciária da Região 2 (GPJ2), foram apreendidos: duas pistolas, quatro revólveres, duas espingardas, um rifle e dois coletes balísticos.
Foram recuperados veículos, celulares e outros diversos aparelhos eletrônicos subtraídos pelos criminosos em suas ações.
Ao grupo, que constituía uma verdadeira “família do crime” (quatro irmãos, dois tios e um cunhado), é atribuída a autoria de mais de cinquenta roubos praticados na zona rural de Murici, Branquinha, União dos Palmares, Cajueiro, Novo Lino e outras cidades da região.
A associação criminosa atacava principalmente fazendas, fazendo as vítimas reféns enquanto arrombavam cofres das propriedades e subtraíam seus pertences, mas também confessou assaltos a postos de gasolina, escolas e bases de empresas de vigilância.
Os infratores confidenciaram que faziam prévios levantamentos, analisando datas de pagamento de funcionários e eventuais armas que poderiam ser roubadas em seus alvos, assim como estudando as rotas e meios de fuga, que se concretizavam, a depender do local, com carros, motos ou até cavalos, praticamente inviabilizando as ações do policiamento ostensivo.
João e “Bimba” também serão indiciados por homicídio, delito praticado em coautoria há cerca de oito meses na zona rural de Branquinha.
Cícero é foragido do sistema prisional alagoano, de onde fugiu antes do término do cumprimento da pena que lhe foi imposta pelo crime de homicídio.
“Os presos estão custodiados no Centro Integrado de Segurança Pública de Murici, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário, e a Polícia Civil orienta que as vítimas do grupo compareçam à unidade policial para reaver os pertences roubados recuperados”, concluiu o delegado Cayo Rodrigues.
COMPARTILHAR