Delegacia Geral – Polícia Civil de Alagoas

Suspeito de dar “sumiço” a jovem é preso e usa nome do irmão para tentar enganar polícia

Delegado Robervaldo Davino, titular do 6º Distrito da Capital (Foto: ASCOM/PC)

O delegado Robervaldo Davino, do 6° Distrito da Capital, revelou nesta terça-feira (11) que um homem identificado como Fúvio dos Santos, de 20 anos, também conhecido como “Jamaica” ou “Quinho”, suspeito de ter sido o responsável pelo desaparecimento de Edvaldo Sabino Fidélis de Moura, de 23 anos, ocorrido no dia 3 de agosto deste ano, foi preso.

No último domingo (9), policiais civis do 79º Distrito Policial (79ºDP), comandados pelo delegado Arthur César, prenderam um jovem que se identificou como Ediclei dos Santos, conhecido como “Baiano”, acusado de chefiar o tráfico de drogas na cidade de Teotônio Vilela.

Ediclei teria assumido o tráfico de drogas da região conhecida como “Caixa D´Água”, após a morte de seu irmão conhecido como “Bruno Baiano”, no ano passado.

O delegado Davino, antes dessa prisão, havia levantado a informação de que Fúvio dos Santos teria parentes em Teotônio Vilela e chegou a manter contatos com o delegado Arthur César, solicitando colaboração no sentido de localizá-lo.

Ao ser comunicado da prisão do suposto Edclei, Davino decidiu ir até aquela cidade, e acabou constatando que, na verdade, Fúvio havia dado o nome do irmão que é menor para tentar escapar das acusações.

Além do tráfico de drogas, o grupo criminoso comandado pelo acusado é suspeito da morte de duas pessoas que tiveram os corpos encontrados e que estavam desaparecidas.

Segundo a polícia, estas pessoas foram mortas e enterradas pelos traficantes em uma grota localizada logo abaixo de onde ficava a boca de fumo do homem que se identificava como Ediclei, e que realmente se trata de Fúvio.

Sumiço

De acordo com o delegado Robervaldo Davino, a esposa de Edvaldo Sabino, que continua desaparecido, saiu de casa, em 3 de agosto, afirmando que iria para uma “festa de cabide” (onde todos os participantes ficam despidos), no bairro do Ouro Preto.

O convite para a festa teria sido feita por Fúvio, que em um interrogatório recheado de contradições, após ser preso em Teotônio Vilela, nega este fato, mas afirma ter levado a vítima para casa naquele dia.

A mulher dele, Welida Roberta do Nascimento, foi ouvida e contou que o companheiro ficou muito assustado quando a imprensa noticiou o desaparecimento da vítima, e sumiu logo em seguida, não retornando para casa desde então.

“Quando chegamos à delegacia de Teotônio Vilela, encontramos Welida na sala de espera. Então, não tivemos dúvidas de que quem havia sido preso era mesmo Fúvio, o que confirmamos definitivamente em seu interrogatório”, disse.

A polícia levantou que Fúvio dos Santos, o “Quinho”, já responde a outros três crimes, em Maceió, Matriz do Camaragibe e São Luiz do Quitunde, sendo dois por roubo a casas comerciais e um por dano.

O delegado Robervaldo Davino informou que, “Quinho” será indiciado por homicídio e ocultação de cadáver, apesar do corpo de Edvaldo ainda não ter sido encontrado. “Não temos dúvidas de que ele foi responsável pela morte da vítima”, concluiu.

 

VEJA MAIS

Academia dá sequência aos cursos de capacitação do PPE para policiais civis

ASCOM-PC

Homem é preso com armas de fogo em Santana do Ipanema

ASCOM-PC

Oplit cumpre mandado de prisão em Maceió

Ascom/PC