30 C
Maceió, BR
| 25 de maio de 2019 |
Delegacia Geral – Polícia Civil de Alagoas

Polícia Civil presta homenagens pelos 25 anos de criação e avanços do Tigre

Diversas pessoas e instituições foram homenageadas nos 25 anos de criação do Tigre ( Fotos: Emerson Lima )
Print Friendly, PDF & Email

Dentro do cronograma de comemorações dos 25 anos de criação do Tático Integrado de Grupos de Resgate Especial (Tigre), grupo tático da Polícia Civil de Alagoas, foram homenageadas, nesta sexta-feira (17, pessoas e instituições que contribuíram com o surgimento e os avanços alcançados, ao longo da história, pelo grupamento de elite da PC alagoana.

Secretário de Segurança Pública, coronel Lima Júnior

Na solenidade, realizada no auditório da Casa da Indústria, no bairro do Farol, o secretário de Segurança Pública, coronel Lima Júnior, disse que o atual governo está enfrentando a criminalidade e reduzindo os índices de violência no Estado, e o Tigre tem uma participação fundamental nesse enfrentamento. Mencionou que Alagoas tem sido um exemplo para o Brasil no combate a todas as modalidades de crime, em especial aos homicídios.

O secretário destacou o apoio que o governador Renan Filho tem dado ao setor de segurança pública, lembrando que nem sempre os profissionais dessa área têm o devido reconhecimento da sociedade. Citou que, recentemente, o governo adquiriu duas mil pistolas Glock, calibre 9mm, uma das armas mais modernas do mundo, e que parte delas serão destinadas ao tático da Polícia Civil.

Delegado-geral Paulo Cerqueira

O delegado-geral Paulo Cerqueira afirmou que, no início de sua carreira, trabalhou diretamente com os integrantes do Tigre, primeiro comandando o setor de inteligência da Diretoria de Recursos Especiais (DRE), e depois na chefia dessa diretoria. “Talvez não fosse hoje delegado-geral se não tivesse, na época, o apoio do Tigre”, destacou.

Segundo ele, “não fosse a existência do Tigre, a segurança pública alagoana não seria a mesma”. Cerqueira agradeceu o apoio que sua instituição recebe do governador e do secretário Lima Júnior, ressaltando a aquisição de modernos fuzis, inclusive do tipo sniper, para reforçar a unidade tática da instituição que comanda.

Em pronunciamento emocionado, o delegado Flávio Saraiva, um dos comandantes do Tigre no passado e hoje secretário Municipal do Trabalho de Maceió, lembrou toda a trajetória de sucesso do grupo tático, desde os primórdios no início da década de 90 até nossos dias.

Delegado Flávio Saraiva

“As ações do Tigre chegaram a reduzir a zero o número de sequestros no Estado, que na época aconteciam em grandes proporções”. Citando todos os chefes da unidade policial, recordou especialmente seu primeiro coordenador, o delegado Nilson Alcântara, recentemente falecido.

Delegado Fábio Costa

O delegado Fábio Costa, atual gerente de Recursos Especiais (GRE/Deic), destacou algumas ações de enfrentamento que os policiais do Tigre estão, diuturnamente, enfrentando, tanto no combate a quadrilhas de assaltantes de banco,

Antônio Vasco

traficantes, homicidas e outros criminosos. “Esses policiais são homens que se destacam por sua bravura e destemor”, salientou.

O atual chefe do Tigre, Agente da PC, Antônio Vasco, também se pronunciou agradecendo a confiança que a cúpula da Polícia Civil lhe confiou, como aos integrantes da unidade. “O sucesso de nossas operações se deve a participação de cada um deles”, concluiu.

Emoção maior

O momento de maior emoção, na solenidade, foi a entrega de troféu “in memoriam” ao agente de Polícia Civil Anderson Lima, gerente do Tigre, morto ao reagir a tentativa de assalto a uma agência bancária, na Rua do Sol, no Centro de Maceió, em 2009. O auditório aplaudiu de pé a irmã de Anderson, Lidiane Lima, que o representou na homenagem.

O auditório aplaudiu de pé a irmã de Anderson, Lidiane Lima, que o representou na homenagem.

Autoridades, delegados e policias também foram homenageados, entre eles, o governador Renan Filho, o secretário Lima Júnior, o delegado-geral Paulo Cerqueira, o ex-governador Geraldo Bulhões (que dirigia o Estado na época de criação do Tigre), o secretário de Ressocialização, Marcos Sérgio, o delegado Kelmann Vieira (presidente da Câmara de Vereadores de Maceió), deputado estadual Cabo Bebeto, comandantes da PM e do Bombeiro Militar, coronéis Marcos Sampaio e André Madeiro, a delegada-geral Adjunta Kátia Emanuelly, o perito oficial  Adjunto, José Cavalcante, os diretores da Polícia Civil:Carlos Reis, Francisco Amorim, Antonio Carlos Lessa, Mário Jorge Barros, os delegados José Laurentino e Ademir Pereira, e policiais civis.

Também foram homenageados os presidentes da Associação dos Delegados (Adepol), delegado Robervaldo Davino, do Sindicato dos Policiais Civil (Sindpol), agente Ricardo Nazário, e da Associação dos Servidores da Polícia Civil (Aspol), escrivão Herbert Melanias.

O Tigre

A criação do Tigre, inicialmente com a denominação de Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) aconteceu no governo Geraldo Bulhões. Num convênio com o 59º BIMtz, 17 policiais civis, recém-saídos da Academia de Polícia Civil de Alagoas, foram treinados, por um oficial da AMAM – Academia Militar das Agulhas Negras – e outros oficiais do Exército, e 11 deles concluíram o Estágio de Operações Especiais, iniciando imediatamente as suas ações na Polícia Civil.

O Gate, embrião do Tigre, de início comandado pelo delegado Nilson Alcântara (falecido), começou a agir em situações de risco e em apoio operacional às demais unidades policiais, nas diligências em áreas sensíveis e prisões de criminosos perigosos, em casos de sequestros e outros eventos que ameaçassem a segurança pública.

Com a sanção da Lei nº 5.621, em 17 de maio de 1994, a unidade policial passou a se chamar Tigre, e desde 2015 está subordinado à Gerência de Recursos Especiais (GRE).

VEJA MAIS

Polícia Civil prende acusado de esfaquear dois irmãos

ASCOM-PC

Polícia Civil prende homem acusado de homicídio na Capital

ASCOM - PC

Delegacia Interativa registrou mais de 7 mil ocorrências no primeiro quadrimestre de 2019

Agência Alagoas (Isaac Moraes)